Marketing Jurídico Digital – O que é e quais suas vantagens

Compartilhe com alguém
marketing jurídico digital
Resumo do artigo
Após a publicação do Provimento Nº 205/2021 que trata da publicidade na advocacia e o reconhecimento do termo marketing jurídico, é de suma importância que profissionais do direito estejam cada vez mais por dentro do assunto. Isso garantirá maior reconhecimento e mais oportunidades na prospecção de clientes através da internet.
Resumo do artigo

Sumário

O reconhecimento do marketing jurídico por parte da Ordem dos Advogados do Brasil  é um marco histórico para a advocacia, visto que diversas estratégias de marketing já eram há muito praticadas por inúmeros profissionais. Entretanto, nunca houve uma manifestação clara nesse sentido por parte da OAB.

A liberação do marketing jurídico é uma grande oportunidade para os profissionais do direito que buscam inovar na sua atuação. Por isso, mais do que nunca será necessário o aperfeiçoamento de profissionais que ainda não possuem conhecimento básico em estratégias de marketing.

Além disso, é importante salientar que o Provimento Nº 205/2021 manifestou-se claramente acerca do impulsionamento de conteúdos jurídicos nas redes sociais, ou, como chamamos no marketing digital: tráfego pago.

Essa manifestação é de suma importância, pois, inúmeros profissionais já se utilizavam das ferramentas do Google e do Facebook para aumentar o alcance de seus conteúdos na internet, o que agora tem o respaldo da própria OAB.

Assim, como podemos usar o marketing jurídico no meio digital a favor da advocacia?

Marketing jurídico no digital

De início, é importante que os profissionais do direito entendam o que é, e qual a importância do marketing digital, para compreender e aplicar as estratégias do marketing jurídico na sua advocacia. Este ponto é importante principalmente para saber em qual momento o seu marketing se conecta.

O marketing digital é a forma pela qual aplicamos estratégias do marketing tradicional nos meios eletrônicos, como redes sociais, websites, blogs, entre outros. Há autores que afirmam que o termo marketing digital não existe e que a única diferença é o meio pelo qual as estratégias são aplicadas.

Entretanto, há uma grande diferença entre os consumidores que compram ou contratam serviços no meio offline e online. Por isso, é importante compreender que a aplicação de estratégias do marketing jurídico nos meios digitais será mais eficiente.

Diferenças entre marketing tradicional e marketing digital

Imagine que a atuação do seu escritório é apenas local. Você atua apenas no seu município e quem sabe, até na região, mas nada além desse espaço territorial. Além disso, vamos supor que a faixa etária da população dessa região seja maior entre indivíduos com 45-60 anos.

Nesse sentido, poderia ser mais vantajoso para o seu escritório uma atuação com estratégias do marketing tradicional no meio offline.

Com as estratégias do marketing tradicional o seu escritório focaria na criação de um cartão de visitas bem elaborado e publicação de artigos semanais nos jornais de circulação da região. Essa seria uma das formas de divulgar o escritório sem ir contra as disposições do Código de Éticas da OAB.

No entanto, vamos pensar em um cenário onde a sua região de atuação possua um grande número de habitantes jovens.

Dessa forma, a utilização do marketing digital pelo escritório poderia ser mais vantajosa, pois, de acordo com a Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nos Domicílios Brasileiros – TIC Domicílios 2019, o Brasil possui 133,8 milhões de usuários de internet, sendo que os maiores consumidores estão entre as idades de 10 a 44 anos.

Entretanto, a principal diferença entre os dois tipos de marketing é que o marketing digital permite a segmentação, e isso não é possível de forma alguma pelo marketing tradicional no meio offline.

O poder da segmentação no marketing digital

Vamos supor que o seu escritório pagou uma publicidade no jornal da sua região, e a sua marca será impressa no papel.

No entanto, seria possível mensurar quantas pessoas visualizaram aquela publicidade? Seria possível identificar o gênero e idade de quem visualizou aquele anúncio? Obviamente que não, pois não é possível sequer saber se aquela publicidade chamou a atenção de quem abriu o jornal.

Nesse ponto o marketing digital é muito superior ao marketing tradicional. Pois, através de ferramentas gratuitas é possível mensurar dados importantes para identificar a eficácia do investimento em publicidade. Inclusive, é possível fazer inúmeros testes para saber qual tipo de publicidade chamou mais a atenção do público.

E quando falamos em público, falamos em segmentar. No marketing digital é possível o escritório criar uma publicidade voltada apenas para mulheres ou homens, apontar a faixa etária para a qual será divulgada determinada campanha, informar o horário de divulgação da publicidade e muitas outras opções.

Isso quer dizer que o marketing digital é melhor que o marketing tradicional? De forma alguma. O que definirá se um é melhor que o outro será a estratégia adotada pelo escritório. Somente com uma estratégia definida é que o profissional saberá qual dos dois tipos será mais eficiente.

Se fazer presente no momento da necessidade do cliente em potencial

Outro ponto forte do marketing digital é que o escritório de advocacia pode se fazer presente no momento em que um potencial cliente está precisando de seus serviços jurídicos. É plenamente possível criar conteúdo jurídico para as redes sociais e ser contratado porque o usuário que acompanha o escritório nas mídias digitais já encontrou ali uma autoridade sobre o assunto para o qual ele necessita ajuda.

Obviamente, essa é uma estratégia que necessita de tempo e demanda trabalho para começar a trazer um retorno significativo. A estratégia consiste em criar conteúdo jurídico com base no modelo AIDA, método criado em 1898 pelo publicitário Elias St. Elmo Lewis, que tem por objetivo de chamar a atenção do usuário, manter o interesse, criar o desejo e convencê-lo a tomar uma ação.

Dessa forma, o conteúdo jurídico será criado com o objetivo de demonstrar o direito (chamar a atenção), logo após, o usuário sabendo que possui um direito que desconhecia, encontrará um problema e realizará pesquisas acerca daquele direito (manter o interesse). E essa pesquisa pode se dar no próprio blog do escritório, pois o conteúdo que apontou o direito para o usuário estará estrategicamente ligado a um artigo no blog. Com isso, o usuário já identificou um direito, leu um artigo sobre o seu problema, e agora sabe que o escritório atua para solucionar os problemas como o dele (criar o desejo). Assim, através de uma estratégia de marketing jurídico o escritório educou um usuário, apontou para um problema que ele desconhecia, demonstrou uma possível solução e agora esse usuário está no processo de relacionamento, onde poderá entrar em contato com o escritório e contratá-lo (tomada de decisão).

Realização de testes

Somente com o marketing digital é possível realizar testes para identificar o que pode ser eficiente ou ineficiente. Como vimos, ao fazer uma publicidade paga em uma revista ou jornal, não é possível mensurar sua eficácia. Por outro lado, no marketing digital é possível concluir se um anúncio está performando melhor ou pior que o outro.

Sem dúvida essa é uma possibilidade que permite que o escritório ou profissional do direito evite gastar dinheiro com uma publicidade que não está atingindo seu objetivo. Por exemplo, se o escritório desejasse aumentar seu território de atuação. Com o marketing tradicional teria que investir em anúncios no jornal daquela região e esperar para ver se teria resultados.

Meios digitais para o marketing jurídico

Há inúmeros profissionais que acreditam que o marketing jurídico se trata apenas de criar posts para o Instagram e Facebook. No entanto, quando se trata de estratégia de marketing jurídico de excelência, as duas redes sociais são apenas a ponta do iceberg.

Como vimos anteriormente, é muito importante que os conteúdos criados sigam conectados, fazendo com que o usuário tenha sua atenção chamada e, ao mesmo tempo, continue interessado nas soluções oferecidas pelo profissional.

Um exemplo disso pode ser a criação de um post para as redes sociais sobre um direito que o usuário não sabia ter, com uma imagem que chame sua atenção, e que o leve também a ler um conteúdo no blog do escritório. Dessa forma, o usuário tem a sua atenção chamada no post, mas há um elemento a mais, o artigo que ele irá consumir, e possivelmente, entrar em contato com o escritório para sanar as dúvidas ou até mesmo contratá-lo.

Nesse aspecto, o escritório pode utilizar estratégias do marketing tradicional no ambiente digital sem qualquer prejuízo. Contudo, é importante que os conteúdos estejam conectados com as dores e necessidades do possível cliente.

Um funil de vendas

Imagine um funil. No topo estão os diversos usuários que nesse momento realizam algum tipo de pesquisa sobre um problema que a sua advocacia pode resolver. Ao criar uma publicação para as redes sociais, tipo “Você sabia que o consumidor pode devolver um produto dentro de 7 dias após a compra pela internet?”.

Dessa forma, o escritório também criará um artigo sobre esse direito do consumidor. Assim, os usuários que estão com algum tipo de problema nesse sentido, poderão engajar com a publicação nas redes sociais e visitar o blog do escritório, aonde encontrarão as possíveis soluções para esse assunto. Temos, portanto, o meio do funil, o qual manterá o usuário interessado no conteúdo.

Após a leitura do artigo, este usuário poderá ou não, decidir entrar em contato com o escritório de modo a contratar os serviços jurídicos oferecidos, e assim, o usuário chegou ao fim do funil de vendas.

Forma gratuita de marketing jurídico

Outro exemplo que pode ser utilizado, que gera grandes resultados e é totalmente gratuito, é a criação de uma conta no Google Meu Negócio.

Assim, é bem possível que uma pessoa encontre o seu escritório no Google Meu Negócio bem na hora em que mais necessita.

Neste artigo eu falo o que é o Google Meu Negócios para Advogados (clique aqui e leia depois) e quais são as vantagens de criar o perfil do escritório na ferramenta, e neste outro artigo eu apresento 5 dicas valiosas para o seu Google Meu Negócio sair na frente da concorrência (clique aqui para ler depois).

Conclusão

Não restam dúvidas de que a aplicação do marketing jurídico no meio digital é uma ótima oportunidade para profissionais que estão buscando inovação no direito. Ainda mais em tempos onde a concorrência aumenta cada vez mais.

É possível que escritórios de advocacia criem conteúdos informativos para as redes sociais a fim de chamar a atenção dos usuários.

Dessa forma, estes usuários, ao descobrirem um direito, acessarão o conteúdo publicado no site do escritório, que manterá o usuário informado e interessado.

Comentário, Sugestões e Dúvidas
Sobre nós
Sobre nós

Claudemir Nascimento é formado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS e desde 2017 atua diretamente com marketing digital voltado para a área jurídica.

Nos últimos 5 anos participou de inúmeros cursos e treinamentos sobre produtividade, criação de sites, landing pages, copywriter e tráfego pago, com diversas autoridades sobre esses assuntos, e tudo isso para poder aplicar nas estratégias de marketing em projetos de seus clientes do mundo jurídico.

Nesse blog você terá acesso ao conteúdo gratuito que poderá lhe auxiliar nos primeiros passos para colocar sua advocacia no mundo digital e alcançar cada vez mais clientes.

Em casos de dúvidas e questionamentos, não deixe de entrar em contato através do WhatsApp. Boa leitura!

Como podemos ajudar?
Como podemos ajudar?
Artigos mais lidos
Website ou Landing Page para Advogados

Website ou Landing Page para Advogados?

Você sabe qual a diferença entre website e landing pages? Neste artigo vamos compreender quais são as diferenças entre esses tipos de páginas na internet, como elas podem ajudar o seu escritório de advocacia a captar mais clientes e,

Leia mais »

Google Meu Negócio para Advogados

Nesse artigo você descobrirá o que é a ferramenta Google Meu Negócio e como ela pode ajudar o seu escritório a se destacar da concorrência na sua cidade e região, de forma totalmente gratuita e fácil.

Leia mais »
Website para advogados e suas vantagens (1)

Site para advogados e suas vantagens

Ter um site hoje em dia não se trata mais de apenas um luxo para escritórios de advocacia ou para advogados autônomos. Assim como qualquer negócio físico ou online, estar presente na internet significa ir além das redes sociais.

Leia mais »
Artigos mais lidos
Como conquistar mais clientes na advocacia: Guia completo para 2024

Como conquistar mais clientes na advocacia em 2024? Este guia completo se propõe a apresentar algumas estratégias de marketing jurídico digital para que você consiga implementar ainda no primeiro semestre.…

Landing Page para Advogados: Tudo o que você precisa saber para 2024

Landing pages jurídicas são páginas específicas sobre um nicho ou serviço prestado pelo seu escritório de advocacia. Dessa forma, vamos supor que seu escritório atue fortemente em Direito do Trabalho.…

Criação de site para advogados: Tudo o que você precisa saber

Ter um site profissional para o escritório de advocacia deixou de ser uma necessidade e passou a ser uma obrigação. A captação de clientes nos últimos anos deixou para trás…

Marketing para Advogados: Estratégias para Captar mais Clientes

Se você estava procurando um artigo completo sobre como o marketing jurídico pode ajudar o seu escritório na captação de clientes e aumentar o faturamento sem ir contra as disposições…

Blog para advogados: Suas vantagens e como iniciar

Quando falamos de marketing jurídico, muitos advogados acreditam que somente o tráfego pago ou publicações no Instagram e Facebook lhe trarão clientes em potencial. Dessa forma, abre-se um oceano de…

Marketing Jurídico para Advogados: Tendências para 2023

Confira neste artigo como o Marketing Jurídico poderá ajudar o seu escritório a captar mais clientes em 2023. Este artigo vai te ajudar a compreender que o marketing jurídico vai…